Comissão Diocesana em Defesa da Vida repudia 100 anos da legalização do aborto na Rússia

Pastoral da Comunicação

19/11/2020

Há 100 anos atrás, em 1920, a Rússia foi o primeiro país a legalizar o aborto em todas as circunstâncias. Em 1936, o aborto voltou a ser crime, mas, em 1955, o governo optou por legalizá-lo novamente, decisão que se mantém até hoje.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas, o país tem o maior número de abortos por mulher em idade fértil do mundo. São aproximadamente 1,3 milhão de abortos por ano, na qual é possível abortar de forma legal até a 12ª semana de gestação.

“Este triste aniversário deve levar-nos a uma reflexão séria, e a nós, crentes, a uma oração expiatória pelo sangue derramado. Encorajamos amigos de diferentes países a aderir a esta oração expiatória e organizá-la em casa , em cada paróquia, em todos países”, pontua o texto divulgado pela Comissão Diocesana em Defesa da Vida, coordenada pelo doutor Talmir Rodrigues, escrito por Lech kowalewski, coordenador da vida humana internacional da região europeia.

Em nível mundial, as orações serão realizadas a partir de amanhã (19/11). “Nos dias 19, 20 e 21 de novembro devemos nos unir em orações para o término do aborto no mundo. Da Rússia para outros países, o aborto foi ceifando vidas de mais de 67 milhões de crianças, no ventre materno”, concluí o texto repassado pela Comissão Diocesana em Defesa da Vida.

Sugestão de Oração:

Todos os nascituros que foram mortos em nossas famílias, estes que conhecemos e esses desconhecidos para nós, pedimos desculpas a vocês e queremos aceitar seu perdão de coração. Por favor, se você já está vendo Deus face a face, ore por nós para que a morte não tenha acesso às nossas famílias. Pedimos uma oração pela Polónia e pelo mundo inteiro, para que volte a Deus Pai, nosso Criador.

Por Cristo nosso Senhor. Amém.

(imprimatur N. 5375/2020 para a versão polonesa)

Deixe seu comentário!

Onda Viva